Crítica: Vozes Inocentes (2005, de Luis Mandoki)




Ficha técnica

Título original: Voces inocentes
Lançamento: 8 de abril de 2005
Nacionalidade: EUA, México
Gênero: Drama/ Guerra
Direção: Luis Mandoki
Com: Carlos Padilla,Leonor Varela, José Maria Yazpik, Ofélia Medina…


Sinopse: Anos 80. Chava (Carlos Padilla) é
um garoto de 11 anos que, após seu pai abandonar a família em meio à guerra
civil de El Salvador, se torna o “homem da casa”. Por causa da guerra
as forças armadas do governo recrutam garotos de 12 anos, retirando-os das
salas de aula. Chava ainda tem um ano até ser também recrutado, sendo que neste
período precisa conseguir um emprego para ajudar sua mãe (Leonor Varela) a
pagar as contas e também escapar da violência diária causada pela guerra civil.



Um
filme do diretor mexicano Luis Mandoki ,Que depois de algumas obras
boas, e outras nem tanto, precisou abandonar Hollywood  e voltar a
sua terra natal para realizar esse filme.


 O longa, é baseado na história real do roteirista Oscar Torres. Salvadorenho que fugiu de seu País ainda garoto, e estabeleceu-se nos EUA,e conseguiu se tornar ator em filmes menores.


Vozes Inocentes (Voces Inocentes,2004), co-produção entre Estados Unidos e México. É um retrato sincero e nada sutil, da situação das crianças Salvadorenhas durante a guerra Civil, que durou de 1980 a 1992.
Trocando em miúdos, é um exercício cinematográfico cruel e nauseante ao extremo.



Então se prepare para presenciar cenas que pegam o espectador pelo
estômago. O filme todo é comovente, mas confesso que essa cena, foi a que mais
me chocou. Assistir garotos  indefesos de 11 e 12 anos sendo assassinados
a sangue frio (e pelas costas) por covardes soldados Mexicanos e Americanos.

Além disso, o filme retrata o ‘’amadurecimento’’ das crianças. A perda
da inocência, aonde são obrigados a se tornarem ‘’adultos’’.






Sabe aquele filme que te emociona, que te toca lá no fundo da alma e te
faz refletir muito sobre a vida? Esse é o vozes inocentes. Mas não estou
falando daqueles filmes apelativos, aonde as cenas são forçadas para tentar
impressionar.
Além das ótimas cenas de guerra, temos diálogos bem construtivos e
interpretações maravilhosas.
É claro que o destaque vai para o ator Carlos Padilla. Muitos podem
achar que é exagero meu, mas esse ator desbanca muitos atores hollywoodianos
que cresceram em frente as câmeras. 

Um ator expressivo, que  consegue nos passar toda a carga negativa
do personagem, todo o sofrimento transparece no olhar nos passando verdade.
(Isso é para poucos atores, imagina para uma criança).




Premiado no Festival de Berlim e indicado ao Ariel (o Oscar do México)
em 10 categorias, inclusive Melhor Filme e Direção, ”Vozes Inocentes” acabou
premiado como Melhor Maquiagem, Efeitos Especiais e Atriz Coadjuvante, para
Ofélia Medina (que interpreta a avó).
Se você procura um filme, que ultrapasse as barreiras da ficção, e que
te emocione pela realidade retratada, Vozes inocentes, é perfeito.
Nota: 10

Trailer: 

Deixe uma resposta