Crítica: Guava Island (2019, de Hiro Murai)


Uma mistura de sonhos, música e a
dura realidade. Assim podemos descrever, de forma simples, o filme Guava Island,
criado por Childish Gambino, um alter ego do multi talentoso ator, roteirista,
humorista e músico americano Donald Glover. O média-metragem foi gravado em
2018, em Cuba, e lançado neste mês pela plataforma Amazon Prime Video.

Uma animação colorida com uma música
de Gambino ao fundo começa o filme apresentando os personagens: Deni Maroon (Donald
Glover), Kofi Novia (Rihanna), Red Cargo (Nonso Anozie) e Yara Love (Letitia
Wright). A animação também é utilizada para contar, na voz de Rihanna, a
história da ilha fictícia caribenha Guava.

Os personagens de Childish Gambino e Rihanna em animação
Em meio a analogias sobre o amor
e a guerra, descobre-se que a maior riqueza da ilha é a seda azul e que o lugar
é comandado por Red Cargo. O tirano autoritário conta com a ajuda de seus
capangas armados para policiar os trabalhadores da ilha, que são explorados na fábrica
de produção da famosa seda azul.

“O que temos além de nossos
sonhos?” Com esse questionamento, saímos da animação e entramos no mundo real de
Deni e Kofia na ilha de Guava. O casal, no entanto, tem sonhos bem diferentes. Kofia,
que trabalha na fábrica, quer sair da ilha o mais rápido possível, mas Deni, muito
conhecido no lugar por ser o único músico famoso dali, faz de tudo por aquela
gente e não tem planos de sair da sua terra natal. Na verdade, o único sonho
que Deni tem em mente no momento é realizar um festival de música na ilha. O
média-metragem se passa no sábado em que o
festival vai ocorrer e mostra as consequências desse acontecimento para a população da pequena ilha, principalmente para Deni.

Rihanna e Childish Gambino em cena
A música, presente no filme desde
o primeiro segundo se entrelaça na história e ajuda Deni no decorrer de sua
jornada. A parte musical é brilhantemente interpretada por Gambino, que canta e
dança as suas próprias músicas Summertime Magic, Feels Like Summer, Saturday e
a icônica This Is America. Essa última ganha uma cena cheia de referências ao vídeo
clipe da canção, que você pode conferir aqui, e se torna uma das cenas mais interessantes
do filme.

Childish Gambino em cena usando vermelho e interpretando This is America
O design de produção e a fotografia
são um show à parte. O filme tem uma paleta de cores bem diversa, mas tons de azul
e vermelho são os mais usados, o primeiro em referência à seda azul e o último
representa a constante presença de Red (vermelho em inglês) na ilha. Em
entrevista à Vogue, um dos produtores executivos, Ibra Ake, afirmou que o
figurino e a direção de arte trabalharam em cima de traços e misturas da
cultura africana, e esses detalhes não passam despercebidos visualmente.

Crianças em cena usando tons de azul
As atuações certamente são um
destaque no filme. Como dito posteriormente, além de criador, Glover é um performático personagem
principal e aparece como um dos produtores. Rihanna merecia mais tempo em tela,
mas está muito bem no papel de Kofia. Nonso Anozie apresenta um ótimo governante autoritário que não deixa passar nada sem sua permissão. Já Letitia Wright, que
faz parte do elenco do elogiado Pantera Negra, quase não aparece.

O filme também mostra que Donald não
é o único que tem muito talento correndo nas veias na família Glover. Assinado
por Stephen Glover, irmão de Donald, o roteiro do média-metragem é redondo, com
diálogos fortes e foi inspirado em obras como Purple Rain, de 1984, Touki
Bouki
, de 1973, e em dois longas brasileiros Cidade de Deus, de 2002 e Orfeu
Negro
, de 1959, como o próprio roteirista contou em entrevista a Vulture. Já a
direção ficou por conta de Hiro Murai, amigo e colaborador em vários projetos
de Glover, que entrega um filme com muitos cortes, quadros amplos e ritmo dinâmico,
tudo isso valorizando as cores e detalhes citados anteriormente.

Stephen e Donald Glover
Guava Island celebra a música e a
cultura negra, e mostra um pouco mais do artista poderoso que Donald Glover é. De mesmo modo pode ser considerada uma crítica ao capitalismo, assim como uma crítica aos Estados Unidos e americanos, como outros críticos já
destacaram. Acima de tudo, é uma obra experimental que não vai passar
despercebida e, com certeza, tem o poder de inspirar outros a se jogarem no mundo cinematográfico.


Título Original: Guava Island

Direção: Hiro Murai

Duração: 55 minutos

Elenco: Donald Glover, Rihanna, Nonso Anozie, Letitia Wright e outros.


Sinopse: Em Guava Island, um músico local está determinado a lançar um festival para todos desfrutarem. Um thriller tropical estrelado por Donald Glover e Rihanna.

Trailer:


Curtiu o novo projeto de Donald Glover? Tem uma crítica diferente? Deixe seu feedback nos comentários e nos siga nas redes sociais 🙂

Deixe uma resposta