Crítica: Invocação do Mal 2 (2016, James Wan)

O diretor James Wan já se
tornou um nome consagrado no cinema, pelos diversos títulos de sucesso que
levam seu nome na direção como ‘Jogos Mortais’,‘Sobrenatural’ e ‘Invocação do
Mal’, são alguns exemplos. O diretor tem o destaque e sua marca no jogo de câmeras que faz, a maneira que ele entra numa cena, passa por um cômodo, inserindo o espectador a determinada situação do filme, transmitindo muito mais realidade, ele assumiu mais ainda sua marca no gênero de filmes de terror com espíritos, envolvendo famílias, casas mal-assombradas e focando, geralmente, nas crianças. Ele leva o espectador a viver com elas todo o
terror, o drama, etc. Wan, inova principalmente na questão de não apenas dar
sustos, mas fazer você ver, encarar e observar por um determinado instante, o espírito,
demônio, ou seja, qual for o monstro em questão.  



Em ‘Invocação do Mal 2’ o
que mudou em relação ao filme anterior, com certeza, foi essa questão do
impacto dos espíritos e personagens malignos, a quantidade de aparições,
geralmente, em evidência e de forma mais prolongada. O que eleva o filme de
apenas uma sequência de sustos, para um terror com qualidade. Pois, um susto dá
e passa, agora você ficar com uma imagem de uma freira macabra na sua cabeça é
sinistro. Mas, essa é uma marca forte de James, inclusive algumas coisas, e elementos do filme nos
fazem lembrar de ‘Sobrenatural’.


Falando mais sobre o filme, o casal Lorraine Warren (Vera Farmiga) e Ed Warren (Patrick Wilson), já no inicio do filme estão trabalhando no famoso caso de Amytiville – que também já rendeu filmes de
terror, mas isso é outra história – o casal ganha grande repercussão na mídia,
mas sendo chamados de charlatões, farsantes e tudo mais. Em meio a isso Lorraine, tem uma visão
nada boa, o que leva o casal a dar um tempo nos casos, eles tiram uma espécie de férias.


Já em Enfield na Inglaterra, mais
especificamente na casa dos Hogdson, uma família composta por uma mãe e quatro filhos,
que foram abandonados pelo pai, o que já constitui um drama, pior ainda é que
se trata de uma família muito pobre, que vive realmente do mínimo com recursos
muito limitados. A casa é bem antiga, com rachaduras, paredes descascando o cenário perfeito para todas as assombrações não colocar defeito.    


Os Hogdson começam a
perceber ocorrências estranhas, primeiramente as crianças, logo em seguida a
mãe e então outras pessoas da vizinhança. O caso ganha repercussão na mídia,
essa se faz muito presente agora em todo o filme, que chega a igreja e mais
tarde ao casal Warren.  


Bom, não estenderei muito
sobre detalhes do filme, pois se não posso acabar dando spoilers, o que é bem
chato. Mas, acontece muita coisa no filme, com a chegada dos Warren até a casa
dos Hogdson. Em resumo, muitos acontecimentos, alguns sustos, cenas “iradas”.
Preciso destacar a trilha sonora do filme, que está esplêndida, principalmente
com destaque para Elvis (adianto que uma lágrima pode escorrer).


O filme possui uma fotografia incrível, que comparada ao primeiro filme, melhorou e muito. É bom destacar a jogada de cores que Wan faz, por exemplo, na
casa dos Warren que é um lar com bastante luz, cores um típico ambiente harmônico e
familiar. Por outro lado, na casa do Hogdson é um lugar escuro, até sujo e como
falei anteriormente muito velho e gasto. Um ambiente até pesado. A questão das
cores podem ser notadas claramente no vestuário, Janet (Madison Wolf) – é uma atriz mirim surpreendente –  começa
o filme usando roupas em tons mais quentes e vivos, e após as ocorrências muda,
passando a usar roupas em tons escuros e os Warren, principalmente a sensitiva
Lorraine, usa sempre roupas claras, brancas, azul da cor do céu, etc.   


Para finalizar, o filme é
algo pra não por defeito, principalmente aos amantes do gênero, eu achei a
pegada da religião um pouco mais forte nesse filme, provavelmente é outro ponto
que acentua ainda mais o medo da galera, mexer com o oculto com o meio espírita
e cristão é puxado. Mas, isso fica mais como detalhe diante de todo o horror
proporcionado pelo filme que, diga-se de passagem, é ótimo. Portanto, não
deixem de conferir, levar uns sustos, dar umas risadas também (sim, isso
acontece) e talvez perder uma noite de sono.

Nota:9
Direção: James Wan

Elenco:Vera Farmiga, Patrick Wilson, Madison Wolfe, Frances O’Connor, Bonnie Aarons, Simon Mcburney, Sterling Jerins, etc.


Sinopse: O Casal Warren recebem mais um caso, dessa vez em Enfield, na Inglaterra para resolverem. Se trata de ocorrências em uma casa, testemunhadas por diversas pessoas, com a familia Hogdson, sendo Janet, menina de 11 anos o ponto principal das ocorrências e manifestações demoníacas. 




Não deixe de comentar, deixar sua opinião, diga o que achou do filme e peça novas criticas. Vamos interagir! 😉




Galeria






Deixe uma resposta