Crítica: Sonhos Roubados (2009)

 

Sandra Werneck é uma diretora irreverente em seus filmes, é
interessante como ela vai de um ponto ao outro na direção. Desde Cazuza, onde
ela faz a excelente biografia do cantor e ao mesmo tempo não coloca um olhar de
julgamento em seus filmes. Simplesmente ela expõe sua vida e deixa esse
trabalho para o publico, é uma reflexão interessante.

Sonhos Roubados, seu ultimo filme que foi lançado em 2009
é inspirado no livro de Eliana Trindade As Meninas da EsquinaDiários dos
Sonhos
, Dores e Aventuras de Seis Adolescentes do Brasil. A produção no caso
não fala das seis meninas, mas concentra a história em três delas, que não
chega perto nem dos 20 e poucos anos, mas mesmo assim enfrenta a dura realidade
da vida seja pela família, pela própria situação social ou até a questão do
ego. Acompanhamos a história de Jéssica (Nanda Costa), Daiane (Amanda Diniz) e
Sabrina (Kika Farias) três estudantes que moram numa favela no Rio de Janeiro.



Jéssica, que já é mãe, mora com o avô e sua filha.
Eventualmente ela se prostitui tanto para sustentar sua filha como para poder
comprar algumas coisas para ela mesma, o lado do consumismo é muito forte no
filme. Daiane e Sabrina, também eventualmente se prostitui. O filme quis
abordar esse lado. A diretora mostrou mais a questão social de jovens são
sempre jovens, independente de da sua classe. Eles desejam ter uma identidade
própria, e optam pelo lado mais fácil. O interessante de como abordei no começo
da crítica de como a Sandra Werneck não julga o filme, também da impressão de
deixar ele neutro, sem despertar um olhar crítico e mais profundo tanto na
relação familiar, como do meio influenciar o comportamento ou também o próprio
lance da opressão tanto da sociedade como do governo com os mais pobres.  Outro ponto interessante dessa repressão é
como eles não saem da favela, diferente de outros filmes que exploram as
belezas do Rio de Janeiro, o filme fica concentrado em partes pobres, tanto na
própria comunidade, presídio e quando eles vão para a praia, não são aquelas
belas praias que estamos acostumadas a ver na televisão e sim, ribeirinhas.  A pobreza tanto financeira e de espírito marca
o filme.



O elenco secundário que traz Daniel Dantas como o tio
pedófilo de Daiane, está espetacular sua atuação como também de Marieta Severo
que faz uma mulher solitária e encontra em Daiane uma amiga para todos os
momentos como uma filha também. O filme se desenrola entre idas e vindas e
situações que mudam a vida das meninas. Mas a diretora ainda continua fiel ao
mostrar as reações da vida delas. Tanto Daiane que começa a se prostituir, mas
logo com ajuda de Dolores (Severo) sai dessa vida, quanta Jéssica que com a
realidade batendo a sua porta ela muda de vida e começa a trabalhar. Só Sabrina
que se aprofunda nessa vida de vez. Mas como eu disse o filme fica conservador
em não julgar ou decidir um lado, simplesmente deixa o filme rolar, é como se
tivesse um bom roteiro com uma péssima visão de onde você quer chegar com esse
filme. Mas ainda sim, e se você for um espectador inteligente vai conseguir
tirar várias idéias em relação ao filme. E olhar com outros olhares a vida
dessas meninas que realmente teve seus sonhos roubados.


 


Direção: Sandra Werneck

Elenco: Nanda Costa, Amanda Diniz,Kika Farias,Marieta Severo, Daniel Dantas, Nelson Xavier

Sinopse: Jéssica (Nanda Costa), Daiane (Amanda Diniz) e Sabrina (Kika Farias) são adolescentes e moram em uma comunidade carioca. Elas eventualmente se prostituem, no intuito de conseguir dinheiro para satisfazer seus sonhos de consumo. Entretanto, mesmo com os problemas do dia a dia, elas tentam se divertir e sonhar com um mundo melhor.

Deixe uma resposta