COLINAS DE SANGUE : CRÍTICA DE UM FILME PERVERSO



Enredo: Você conhece a
história. Aquela sobre a festa mais violenta e sanguinolenta de todas; aquela
feita nos anos 80, mas misteriosamente perdida. Avance no tempo até hoje:
jovens fãs do terror buscam por um lugar secreto onde o filme foi rodado, esperando
encontrar pelas históricas cenas. Mas o que eles descobrem é que aquele épico
banho de sangue é muito mais que um filme. É real. E agora eles são as mais
novas estrelas “contratadas”. Um cinéfilo obcecado por misterioso filme de terror, do qual não existe
mais nenhuma cópia, vai até a floresta onde aconteceram as filmagens. É lá que
ele e a sua equipe descobrem que o filme ainda está sendo rodado – e que serão
os próximos personagens a morrer!

Elenco: William Sadler, Sophie Monk, Tad
Hilgenbrink
, Janet Montgomery, Mike StraubAlex WyndhamRaicho VasilevItai DiakovDanko
Jordanov

Hristo Mitzkov.


Filmes de
terror têm seus subgêneros, sendo um deles o slasher. É o típico filme do
assassino mascarado (Jason de Sexta Feira 13, Michael Myers de Halloween) ou uma
família de sádicos (Massacre da Serra Elétrica, Pânico na Floresta); matando
adolescentes idiotas e irritantes. Uma das regras é que só a mocinha pura
sobrevive. Mas lá em 1996 o filme Pânico surgiu com um novo subgênero: filmes slasher
com metalinguagem, ou seja, o filme dentro do filme. Trata-se de filmes de
terror que brincam, debocham ou criticam os clichês e regras dos filmes de
terror, inclusive o próprio filme que está rolando. É uma jogada inteligente e
que rende boas sacadas. Esse ano The Cabin In The Woods fez isso. Pois bem,
ontem assisti esse Colinas de Sangue. O resultado é que foi um dos melhores
filmes slasher que já assiti, utilizando uma metalinguagem agressiva e surreal.



Tecnicamente
falando o filme tem sim defeitos. Alguns furos de roteiro e atuações fracas da
maioria dos atores. Mas o gore, o terror, a nudez e elementos sombrios estão
muito acima do normal nesses filmes. São muitos os pontos fortes do filme.
Começando pelo roteiro que traz uma história tensa e pesada, que brinca com os
clichês de terror ao mesmo tempo em que mostra até onde um fã ou um diretor
podem ir. Piadas como o sinal do celular ou os jovens estarem indo para um
lugar afastado vem o tempo todo. Mas apesar das críticas e das reflexões
cinematográficas que o filme traz (uma delas sobre o mundo do terror em
Hollywood), o filme consegue ser um dos mais sádicos e violentos que já vi.

Um ponto
fortíssimo é o visual do assassino Babyface
: carne retalhada coberta por uma máscara com rosto de bebê. O monstrengo é
deficiente mental, mas mesmo assim é sádico, sarcástico e se mostra esperto em
muitas cenas. Faz até piada. O fato do assassino mascarado falar é novo, já que
nesse tipo de filme eles não falam. Mas não é só isso: ele também corre,
estupra e dá tiro. Jason não faz isso! Genial e surpreendente. Há outro
elemento que perturba no filme: sexo entre parentes e cobaias de reprodução.
Tudo em família, tudo pelo filme de terror perfeito! Grotesco, forte e
repugnante. Cadáveres, torturas e sangue em meio a reviravoltas, sarcasmo e
nudez, muita nudez; fazem desse filme uma pérola. Com apenas 80 minutos esse
filme é melhor e mais tenso que muitas sagas inteiras.



Esqueça os típicos filmes de assassinatos em
série e embarque nessa sombria viajem ao inferno. Mesmo que com seus defeitos e
cenas muito pesadas para crianças ou quem tem estômago ou mente fraca, quem é
cinéfilo, ama terror ou gosta de se chocar não apenas com cenas sangrentas mas
também com um roteiro frio e intenso; alugue ou baixe já esse filmão muito
acima da média.

E o final? Você não espera pelo modo que acaba.
Faz-nos pensar nos limites que psicopatas e lunáticos fazem em prol de suas
loucuras. Aqui é em nome dos filmes de terror, mas poderia ser outra razão. Não
perca nem um minuto desse belo conto de horror. Todos personagens ali tem culpa
de alguma forma, todos acabam de alguma maneira contribuindo para o sadismo.
Mesmo sendo entretenimento sangrento, Colinas de Sangue deixa brecha para
críticas e reflexões, mesmo que por um minuto. Uma boa sessão, ficando o alerta
de uma das personagens: Não fazemos filmes, vivemos eles! Absurdamente
inteligente e perverso.

NOTA: 9

Deixe seu comentário:


12 thoughts on “COLINAS DE SANGUE : CRÍTICA DE UM FILME PERVERSO”

  1. da pra assistir , tipo aviso de tempestade , só um exagero…o cara leva uns tiros de espingarda e nem faz cocégas , u, o cara é tipo o jason , sexta feira 13 . mais vale 4 pasteis;

  2. Amei esse filme!! Concordo totalmente com a critica!! Mt diferente!! Recomendo!
    Obs.: qd o cara toma tiros e nao se machuca, mais pra frente é informado que as balas são de festim!!

  3. Filme Bom. Tenho saudade desses tipos de filme, quem nao lembra de Lenda Urbana, Eu Sei Oque Voces Fizeram No Verão Passado, Panico… O cinema esta nos devendo, amantes dos filmes de terror estas obras primas…

  4. Filme muito bom, talvez o final poderia ter sido conduzido de uma forma mais empolgante mas é bom. Só fiquei em duvida quanto ao local do tiro que a Alexa levou

  5. Esse realmente me deu um certo medo esse filme foi bom,muita gente diz que e ruim por imitar algumas parte o lendário filme Sexta-feira 13 com o massacre da serra elétrica,mais não ligo que copiou adorei muito o filme realmente deve si chamar de Terror.

    1. Concordo plenamente, é um bom representante do gênero. Vi que você compartilhou uma matéria aqui do blog. Obrigado pelas visitas, participações e divulgação. Se precisar de algo,conta comigo. Volte sempre meu amigo!

  6. Eu acho que vi uma versão censurada, porque não mostrou o estupro. Eu nem tinha entendido que o filho da vítima era o Babyface. Outra coisa: qual foi o final do protagonista? Não entendi muito bem.

Deixe uma resposta