Zimba (2021, de Joel Pizzini)

Com o tempo, até mesmo os arquétipos se renovam.Lembro que, quando criança, eu só pensava em unanimidades: todos os cientistas eram brancos e velhos, um pouco loucos, talvez. Somos feitos de imaginários e a recente e intensa reconstrução dos mesmos deixará um legado no imaginário cultural da futura geração. A crítica de Zimba teve que, por consequência dos fatos, Leia mais… »

Crítica: Alvorada (2021, de Anna Muylaert e Lô Politi)

O Palácio da Alvorada é, desde 1958, a residência oficial do Presidente da República do Brasil. O projeto do arquiteto Oscar Niemeyer e do engenheiro Joaquim Cardozo abrigou líderes políticos de diversos partidos, eleitos democraticamente ou não.  O local sempre foi alvo da imprensa: nos jornais diários, já se tem o imaginário estético da mansão Leia mais… »

Meu Pai (2021, de Florian Zeller)

Meu Pai, dirigido por Florian Zeller, é uma bela surpresa. Desde Amor (2013, de Michael Haneke) não houve filme que representasse tão bem a senilidade despida de romanticismo ou emoções simplórias. É um filme complexo, do início ao fim.  A obra é uma adaptação da homônima e premiada peça teatral que o diretor assina. Florian Zeller é Leia mais… »

Conheça o documentário Você Não É um soldado (2021, de Maria Carolina Telles)

O documentário Você Não É um Soldado foi um dos títulos selecionados para a 28ª edição do Hot Docs, renomado festival internacional que qualifica os vencedores ao Oscar. A estreia do filme no Brasil está prevista para o segundo semestre de 2021.  O longa-metragem foi realizado principalmente com gravações e arquivos do fotógrafo André Liohn, Leia mais… »

Crítica: Dente por Dente (2020, de Júlio Taubkin e Pedro Arantes)

Olho por olho, dente por dente. A expressão secular remete ao ato de aplicar, na mesma proporção e grandeza, o sofrimento proferido a quem o proferiu. Chamada também de lei de talião ou retaliação, o pagamento da sentença cria ainda o fluxo circular e ininterrupto da vingança.   No cinema, a premissa é bem trabalhada a Leia mais… »

Crítica: Pinóquio (2021, de Matteo Garrone)

A história de Pinóquio sintetiza a aventura maior da paternidade: educar. A saga do indisciplinado menino de madeira esculpido pelo solitário Geppetto chegou aos cinemas do mundo em 1940 pelos estúdios Disney. Desde então, quase não há quem não conheça a fábula italiana.   O filme de Matteo Garrone se distancia de qualquer adaptação dos contos Leia mais… »

Crítica: A Convenção das Bruxas (2020, de Robert Zemeckis)

A criança que, na década de 90, arqueou as costas no momento em que Anjelica Huston se tornaria irreconhecível sabe o quanto A Convenção das Bruxas (1990) cruza o tempo: cenas marcam mais que a própria história. O remake de 2020 tem seus méritos mas não consegue lançar o feitiço que o original havia deixado há três décadas. A obra é baseada Leia mais… »