A FANTASIA CINEMATOGRÁFICA EM MOMENTO DE VIBRAÇÃO MAIOR

Filme de fantasia plenamente realizado é o atemporal O ladrão de Bagdá (The thief of Bagdad ‑ An Arabian fantasy, 1940), de Michael Powell, Tim Whelan, Ludwig Berger e outros não creditados. Passados tantos anos de sua realização, conserva vivo o poder de sedução. Suntuoso, abusa das possibilidades cromáticas do nascente Technicolor e da artesanal Leia mais… »

FRANÇA SOB OCUPAÇÃO: LOSEY ALIMENTA O COLABORACIONISMO COM A INDIFERENÇA

França sob ocupação nazista: Joseph Losey recria com Cidadão Klein (Monsieur Klein/Chi è Mr. Klein?, 1976) os antecedentes do tristemente célebre acantonamento dos judeus de Paris no Vélodrome d’Hiver em 16 de julho de 1942. Esta ação da Gestapo contou com a decisiva participação da polícia francesa. Embarcados em vagões de carga, os prisioneiros foram Leia mais… »

REDUCIONISMO, MANIQUEÍSMO, SIMPLISMO, FABULAÇÃO E DIALÉTICA: A UNE VAI AO CINEMA PASSANDO PELAS FAVELAS

1962: a União Nacional dos Estudantes (UNE) completa 25 anos. Intermediada pelo seu Centro Popular de Cultura (CPC), resolve investir em cinema. Disso resulta o desigual e episódico Cinco vezes favela, a cargo dos iniciantes Miguel Borges, Joaquim Pedro de Andrade, Carlos Diegues, Marcos Farias e Leon Hirszman. É uma realização mítica, mais comentada e Leia mais… »

EVOLUINDO PARA PROCESSOS EFICAZES DE GERAÇÃO DE ENERGIA LIMPA EM MONSTRÓPOLIS

Monstros S.A. (Monsters, Inc., 2001) é a quarta incursão da Pixar Animation Studios — com o suporte da Walt Disney Pictures — na seara do desenho animado de longa metragem em computação gráfica. Localiza a ação no universo paralelo e fantasioso de Monstrópolis, dependente, em termos energéticos, dos gritos de crianças humanas assustadas na calada Leia mais… »