Crítica: Roma (2018, de Alfonso Cuarón)

Antes de qualquer deliberação é importante ressaltar aqui, neste primeiro parágrafo, como o poderio dos serviços de streaming alcançou patamares não só envoltos nos lançamentos de grande público com temas batidos e montanhas de dinheiro, como também na realização de obras escaladas para importantes festivais ao redor do mundo. A memória coletiva da crítica estrangeira Leia mais… »

Crítica: Ilha de Cachorros (2018, de Wes Anderson)

Na longínqua e distópica cidade de Megasaki, o corrupto Prefeito Kobayashi, descendente do império familiar ao qual carrega o nome, lidera um excêntrico plano em resposta à sua dinastia protetora absoluta dos felinos, para exilar todo e qualquer cachorro que caminhe sobre a mesma cidade. Incriminados por serem portadores de uma doença sem cura, milhares Leia mais… »

Crítica: Gauguin – Viagem ao Taiti (2017, de Edouard Deluc)

O ano é 1891, e cansado do marasmo da sociedade francesa, Paul Gauguin, até o momento um artista desconhecido por suas obras, abandona sua vida parisiense e parte para os confins do Taiti em busca de novos ares que possam trazer-lhe inspiração. Na tentativa de expressar a selvageria e o naturalismo em suas telas, o Leia mais… »

Crítica: Arábia (2018, de Affonso Uchoa)

Às vezes, simplesmente, é necessário sair de sua zona de conforto, e o cinema frequentemente exerce a função de lhe causar tal efeito. É difícil, tanto quanto contestável, saber se foi essa necessidade que inspirou o diretor Affonso Uchoa a escrever, em conjunto com João Dumans (também diretor), uma obra que não só te leva para as Leia mais… »