Crítica: O Caçador e a Rainha do Gelo (2016, Cedric Nicolas-Troyan)



Prequências: é nisto que Hollywood
tem investido nos últimos anos. Não é de hoje que outras adaptações (O Hobbit,
Prometheus, Carga explosiva – O legado, Star Wars, A coisa) tem ganhado espaço
para que as produtoras lucrem criando produções com o objetivo de contar a história
antes da obra original, em geral, a origem dos personagens principais.
Ao ser lançado, seu antecessor dividiu
opiniões. De um lado, os cinéfilos de plantão que foram ao cinema com a mente
aberta, não se importando com furos. Do outro, aqueles que sabiam que ele poderia
ser um fracasso total. Porém, com o sucesso de bilheteria tanto nos EUA quanto
no Brasil, o inesperado surgiu: Uma sequência!
O filme pode de primeira, não
agradar a todos os fãs, mas devemos ir com calma. Ele não é ruim, disso passa
longe. O que é preciso levar em conta é a história em si.



A troca de diretor não foi
problema, ele cumpriu sua missão de maneira mais efetiva do que o anterior. Agora,
quanto ao roteiro, pode-se dizer que existem alguns clichês, mas qual filme
atual não tem? Os furos são mínimos, podem ser passados por cima, e só serão
notados por críticos pessimistas que forem assistir com outros olhos. A decisão
de manter os atores originais também foi outro ponto positivo, que eles ao
menos, não erraram.




Com relação às atuações, elas
variam. Primeiramente, a diva Rainha Ravenna (Charlize Theron) dá um show de
interpretação, encarnando sua personagem de maneira espetacular.

Freya (Emily Blunt) incorpora a
temida rainha do gelo, que talvez seja vista como a “Rainha boa”, mas engana-se
quem pensa assim. Sua expressão facial (À La Kristen Stewart), mas nada que
tenha atrapalhado muito seu desempenho (Ficou até parecida com Elsa, de
Frozen). Ela tornou-se ícone chave para a película.


Eric (Chris Hemsworth) retorna
como O caçador, personagem que a mídia faz mais propaganda em cima, e eles tem
motivos para isso, porque ele consegue criar um pouco de comédia. Mais prós do
que contras para os trabalhos deste ator.

Sara (Jessica Chastain) é a mais
nova adição do elenco, o que foi algo essencial para a trama. Sua performance
foi fantástica, ela consegue entrar no papel da mulher do Caçador, e por
conseguinte, vemos como ela o conheceu, e o decorrer de sua participação
naquele universo.



E é claro que não podia deixar de
citar os atores que fizeram os novos anões, que trouxeram além de bravura e
coragem, tiradas cômicas e engraçadas.

Melhor que “Branca de Neve e o
Caçador”, “O Caçador e a Rainha do Gelo” tem tudo para ser mais um filme
“pipoca”, uma aventura que com certeza irá agradar tanto crianças quanto
adultos. É entretenimento com efeitos visuais maravilhosos, narração
interessante e cenas de ação surpreendentes.





Nota: 9

Direção: Cedric Nicolas-Troyan


Elenco: Charlize Theron, Emily Blunt, Chris Hemsworth, Jessica Chastain, Nick Frost, Rob Brydon, Sherydan Smith, Alexandra Roach, Sope Dirisu, Sophie Cookson, Sam Claflin, Conrad Khan, Niamh Walter.

Sinopse: Antes de Ravenna ser morta pela Branca de Neve, sua irmã Freya, tem seu coração partido, e por consequência, foge e se isola a partir de então, e decide formar seu exército de caçadores assassinos em seu próprio reino. Quando descobre que dois dos seus melhores treinadores Sara e Eric se apaixonam e iniciam uma rebelião, ela os bane e crê que nunca mais voltem a se encontrar. Após ser traída, Freya ressuscita sua irmã e juntas, elas traçam um plano para conquistar a terra encantada.

Trailer:

Deixe seu comentário!

Deixe uma resposta